Dia 24 de Novembro – Dia do Rio

Foto: Prefeitura de Rio Doce
Foto: Prefeitura de Rio Doce

A maior parte das cidades foram construídas as margens dos rios justamente para aproveitar de suas águas para as mais diversas atividades mas, principalmente para matar a nossa sede.  O fato é que nos tempos remotos estabeleceu-se uma cultura de jogar as águas servidas dentro dos rios com a falsa ideia de que ele não sentiria os impactos de tal ato.

O problema é que as cidades cresceram e a quantidade de esgoto também. A vazão do rio não foi suficiente para depurar a sujeira e o que se vê atualmente na maior parte das cidades brasileiras é um grande valão de esgoto, um fluxo de águas escuras e fétidas, com pouca ou nenhuma diversidade de vida, a não ser de bactérias anaeróbias que perfumam o ar de nossas cidades com aquele nauseante cheiro de ovo podre.

Juntam-se aos esgotos outros problemas como um fluxo intenso de águas para o interior do rio, pela indiscriminada impermeabilização das cidades, com o consequente aumento das erosões e assoreamento, criando um ciclo vicioso de destruição do rio que avança sem obstáculos. Para conter esses avanços lança-se mão de obras de retificação e canalização do leito do rio que acabam por serem mais danosas tanto ao rio quanto ao próprio ambiente da cidade, gerando a curto prazo a quase extinção da fauna ainda presente e a médio e longo prazo problemas crônicos de enchentes.

O resíduo sólido também é uma praga que assola o ambiente hidrográfico da cidade. Seja pela falta de consciência da população ou pela inépcia do poder público, vemos nosso rios se tornarem uma grande lata de lixo, com resíduos que vão desde tampas de garrafa ou cotonetes até sofás ou automóveis inteiros.

No ambiente rural a situação também não é tão mais confortável. O uso indiscriminado de agrotóxicos nas lavouras, o desmatamento das matas ciliares, o pisoteio do gado nas margens também geram consequências nefastas para todo o ecossistema.

Para finalizar, as Estação de tratamento de água, as famosas ETAs, não conseguem retirar muitas toxinas ou metais pesado da água que bebemos, e por isso estamos nos envenenando pouco a pouco, sob risco de uma epidemia de câncer, comprometendo gerações futuras e a própria sobrevivência da espécie.

Se água é vida e dependemos de forma quase indispensável dos rios, o que podemos dar de retorno é só destruição? Já passou da hora de mudarmos nossas relação com rios e córregos, sejam nas cidades ou no campo. Que esse 24 de Novembro seja de reflexão e conscientização!

3 comentários em “Dia 24 de Novembro – Dia do Rio

  1. Bom dia amigo,moro em uma zona rural e não tenho água tratada,somente poço, a fossa fica a uma distância de 6m do poço e o poço começa a captar água com a profundidade de 1,60m com o max de 9m de profundidade .não sei o que fazer para ter água de qualidade. Tem com enviar fotos pra VC?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s