Por que somos assim? Dourados, um rio que corre perigo.

Rio Dourados - Essa beleza pode ( vai? ) acabar.

Nasci no ano de 1980, em Goiânia. Desde criança, sempre gostei de água, córregos e rios me hipnotizavam. Infelizmente, no ano em que nasci, os principais córregos da minha cidade já estavam estragados, muito poluídos, com uma série de problemas, tais como: ausência de mata ciliar, cheio de lixo e entulho. Imagine que referência tive eu? Provavelmente era para eu estar agindo como a maioria das pessoas da minha cidade simplesmente ignorando o problema, afinal de contas os córregos do jeito que estavam não ofereciam nenhum atrativo, pelo contrário, eram vetores potenciais de inúmeras doenças, e me aventurar em seus leitos era convite certo para micoses, hepatite A, leptospirose e por ai vai.

Mas o que aconteceu desde então? Afinal de contas já se passaram 31 anos! O que mudou? Muito pouco, apesar de investimentos na área de saneamento e da construção de uma grande ETE, os córregos continuam muito poluídos, feios e com sua função ecológico comprometida. Com o crescimento da população e consequentemente das cidade, os problemas foram replicados para regiões até então intocadas, ou seja, além de não resolvermos os problemas iniciais, ainda criamos problemas em novas regiões. O monstro do crescimento sem planejamento continua fazendo novas vítimas. Temo bastante que um dos mais belos rios de Goiás termine moribundo como todos os outros que nascem ou passam pela região metropolitana, a grande Goiânia! Estou falando do rio Dourados.

Interessante que no último domingo, dia 24/07/11, eu estava nesse rio, já no município de Hidrolândia, conversando com um pessoal que estava lá. Uma das pessoas me disse, sem eu falar nada, que temia que toda aquela beleza pudesse acabar em pouco tempo, justamente pelo crescimento de Goiânia em direção a bacia do Dourados, portanto, não sou apenas eu que está preocupado, mas já existem outras pessoas que estão.

Faz muito pouco tempo que ouvi falar no Dourados, não tem nem 4 anos. Meu primeiro contato foi numa visita a fazenda Jaboticabal, na cidade de Nova Fátima GO. A fazenda é conhecida pelos milhares de pé de jabuticaba, e pelo desafio do dono da fazenda, que diz que quem chupar  1 jabuticaba de cada pé, cerca de 20 mil, leva a fazenda. Ao lado do local, existe o recanto Jaboticabal, frequentado por centenas de pessoas em finais de semana e feriados, banhado pelas águas do rio Dourados. Na região da bacia do rio também existem vários outros recantos e balneários que também tem uma procura muito grande. Não deixo de citar também o rio das Pedras em Aragoiânia-GO, afluente do Dourados e também bastante frequentado. Tanto o Dourados, quanto o rio das Pedras e outros afluentes menores possuem diversas cachoeiras e corredeiras, como um capricho divino para a região da bacia.

É uma pena a urbanização ja estar nas beiradas do rio. Como já disse, temo muito pelo seu futuro. Um rio que começa a ser prejudicado pelo poluição passa a ter um triste destino, como uma pessoa que cai doente e ao invés de ter o apoio da família passa a ser completamente ignorada. Temos por péssimo hábito o de simplesmente procurar outros lugares e não lutar pela preservação de um lugar que tanta diversão trouxe e que fez parte da infância de muita gente.  O pior de tudo é que tem gente que mora em Goiânia há vários anos e nunca ouviu falar do rio. Quando ouvir, já será tarde demais.

Será que em mais de 30 anos de destruição não aprendemos nada? Vamos continuar acabando com os refúgios próximos da cidade que nos garantem paz, tranquilidade e diversão? Teremos que ir cada vez mais longe?

Anúncios

6 comentários em “Por que somos assim? Dourados, um rio que corre perigo.

    1. Boa tarde Luis, obrigado pela visita. Esse lugar é cheio de belezas naturais fantásticas, dignas de cartão postal. E pensar que é tão próximo e quase ninguém conhece. Lá não tem nenhum tipo de clube, balneário, nada, mas o local tem alguns pontos para fazer seu piquenique particular. Depois que você passa a cidade de Hidrolândia, como se estivesse indo para São Paulo, você anda em torno de 10 Km, assim que você passar a lanchonete “Felicidade” que fica do seu lado direito, você anda poucos metros e você vai avistar uma entrada para uma estrada de chão, entre nela e siga essa estrada, sempre se mantendo na principal, são mais uns 10 Km de chão até chegar no rio. Vale a pena! Abraço.

    2. concordo plenamente com você, pois, moro no setor alto paraíso e conheço o dourados a exatos 30 anos, ou seja, desde o início da década de 1980, e vi durante esses 30 anos esse rio ser degradado continuamente.

      1. Olá João Dias, obrigado por visitar o blog. A respeito do Dourados já andei perguntando para várias pessoas aqui de Goiânia ou mesmo de Aparecida se elas o conheciam, o resultado não poderia ser pior, praticamente ninguém soube informar que rio era, onde se localizava, o mesmo resultado decepcionante vale para a Serra das Areias. Sinceramente eu não entendo como as pessoas moram por tanto tempo em um lugar e não tem a mínima ideia do que as circunda. Para elas é muito mais fácil conhecer todo o litoral brasileiro do que belezas naturais a menos de 30 Km de sua cidade. É necessário conhecer para preservar, como lutamos por algo que não fazemos ideia de que existe? Até tento mudar essa situação, convidando as pessoas para que conheçam ou publicando fotos de locais próximos para tentar sensibilizar, mas é difícil, creio que estamos em um momento crucial, ou tentamos salvar o pouco que ainda resta ou o que sobrou vai ser deteriorado rapidamente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s