Ações para revitalização da bacia do rio das Velhas possibilitam o uso de suas águas até mesmo para abastecimento

Rio das Velhas em sua passagem por Funilândia (Foto: Marcelo Andrê)

Solução que vem do Velhas

Sete Lagoas pode contar com captação do Rio das Velhas para melhorar o abastecimento de água.

Fonte: Projeto Manuelzão – UFMG

Apesar de o nome nos remeter à abundância de água, o município de Sete Lagoas possui deficiências quanto ao abastecimento do recurso. A coordenadora do Subcomitê de Bacia Hidrográfica do Ribeirão Jequitibá e moradora da cidade, Eloise Guimarães, afirma que há falta de água em alguns bairros: “sei de colegas que tem que ir à casa de parentes no fim do dia para tomar banho”.

Atualmente, toda a água que abastece Sete Lagoas é captada no subterrâneo por meio de poços profundos, contabilizando ao todo 96. Segundo a engenheira do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Sete Lagoas (SAAE), Maria Fátima L’Abbate, a dependência exclusiva de águas subterrâneas é preocupante, já que o município está localizado em uma região cárstica e não há ainda um conhecimento real da situação do subsolo. Para uma maior segurança, o SAAE fará um estudo hidrogeológico que além de apresentar as condições do solo e a disponibilidade de água no subterrâneo, servirá para regularizar poços que ainda não foram outorgados junto ao Instituto de Gestão das Águas de Minas Gerais.

A alternativa encontrada para não depender dos poços é implantar um Sistema Misto de abastecimento, que contará com captação da água do Rio das Velhas. Segundo o SAAE, a água será captada no município de Funilândia, na região do médio Velhas, onde haverá também uma Estação de Tratamento de Água. Diferentemente das que serão captadas do Velhas, as águas retiradas do subsolo não passam por um tratamento, apenas por um processo de cloração.

O projeto, orçado em cerca de 70 milhões, ainda será licitado e é parte do Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal para Sete Lagoas. Ele será financiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) juntamente com a Prefeitura. De acordo com Maria Fátima, o Sistema Misto vai atender a 378.000 habitantes, trazendo um “alívio” para o aquífero subterrâneo e garantindo sua recarga.

O coordenador do Projeto Manuelzão, Marcus Vinícius Polignano, sugere que a água seja captada não em Funilândia, mas sim no trecho do Rio Jequitibá em que o esgoto de Sete Lagoas é lançado. Essa seria uma forma de pressionar o município a tratar o esgoto, visto que a cidade não possui nenhuma Estação de Tratamento.

Por: Assessoria de comunicação

Publicado em: 15/10/2010

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s