Dê valor na água!

Foto: Bruno C.

Dê valor não somente a água que chega na sua torneira, valorize os córregos e rios de sua região. Se eles estiverem poluídos lute pela sua despoluição. Se sua cidade é agraciada com uma vasta quantidade de água, dê valor, cuide, pois se faltar, você vai se lembrar de  situações como as da notícia abaixo, e se arrependerá amargamente por ter ficado de braços cruzados quando poderia ter agido.

Moradores de favela em SP fazem fila para pegar água em mina

Habitantes de Paraisópolis carregaram os baldes até na cabeça. Adutora rompeu no domingo e não havia previsão de fim do conserto.

Do G1, com informações do SPTV – 08/02/10

Em qualquer fio de água caindo na rua, junta gente em volta. A dona de casa Zilma de Jesus Oliveira usaria a água para dar banho nas crianças. A pequena fonte fica em Paraisópolis, na Zona Sul de São Paulo. Ali existem outros pontos onde a água brota e é disputada pelos moradores. Cerca de 800 mil pessoas da capital e região metropolitana tiveram o abastecimento interrompido após o rompimento de uma adutora da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) no domingo (7).

Em Paraisópolis, os moradores fazem fila. Debaixo de um calor de mais de 30ºC, não dá nem para matar a sede antes de chegar ao começo da fila. E quem chega não aguenta mais esperar. Um homem grita para tentar organizar a confusão.

Com uma bomba emprestada, os moradores retiram a água de um poço. Mesmo sem a certeza de que ela é potável. Eles vão e voltam várias vezes e a água não dá. A tubulação da sabesp se rompeu de madrugada entre as avenidas Roque Petroni Júnior e Chucri Zaidan, no Brooklin, Zona Sul, e formou um chafariz.

A previsão inicial era que o reparo terminasse nesta segunda, mas apareceu um imprevisto: “aqui ao lado da escavação que a gente fez, passa um córrego. O Córrego do Cordeiro e ele está infiltrando na vala; então, a gente está com bombas retirando água e tentando vedar essa passagem para a vala aberta”, contou Alexandre Tassoni, gerente da Sabesp.

Para soldar a tubulação – que fica a quase 8 metros de profundidade – toda a água tem que secar. O problema atinge bairros como Morumbi, Butantã, Vila Sônia, Campo Belo, Americanópolis e Interlagos. Também falta água nas cidades de Taboão da Serra, Embu e Cotia.

No fim da tarde, a Sabesp informou que vai realizar manobras no sistema para que todas as regiões da Grande São Paulo tenham, pelo menos, o abastecimento parcial. E pediu que os moradores economizem água até que a situação seja normalizada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s