Entulho – Uma agressão sem tamanho

Em minhas expedições fazendo um levantamento por alguns córregos de Goiânia, percebi o quão grave é o problema dos entulhos de construções jogados sem qualquer critério na margens dos córregos. Na verdade para entulho não existe critério, ou se tem um lugar especifico para acomodação e posterior reciclagem desses rejeitos ou vai continuar acontecendo esse crime contra a natureza. Esses entulhos além de enfeiar a paisagem, podem trazer vetores de doenças, tais como baratas, ratos e até o perigoso escorpião, também são responsáveis pelo assoreamento do leito do córrego e tem uma grande contribuição nas enchentes. Enquanto cidadãos devemos fazer nossa parte e devemos denunciar os responsáveis por jogar esses entulhos nesses lugares, pois enquanto não existe a usina de reciclagem, existe o aterro sanitário que esta sendo utilizado para esses fins, se não levam os entulhos até lá é por pura e simples comodidade e por querer economizar alguns reais no combustível, muito triste.

Abaixo coloco um editorial publicado no Jornal O Popular na edição de 01 de Outubro de 2009.

A agressão do entulho

Em um terreno próximo ao Ministério Público Federal, perto também do Paço Municipal, entulho de resto de obras e material irregularmente descartado por empresas ilegais e carroceiros constitui uma agressão ao meio ambiente, às posturas urbanas e à civilidade.

Não obstante estejam cerca de 1 milhão de toneladas de entulho depositados no aterro sanitário da cidade, diariamente pelo menos mais de uma tonelada de entulho são recolhidas em locais inadequados pela Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg).

Tudo isso é muito lamentável para uma cidade com mais de 1,2 milhão de habitantes (cerca de 2 milhões, somando-se também a população do seu entorno) e com algumas referências apreciáveis. Certamente que nesta questão do entulho não pode haver boa referência.

Está com cerca de dois anos de atraso o cronograma de implantação da usina de triagem, que deve ser instalada no limite oeste de Goiânia, em área de 40 hectares.

Nessa usina se fará a separação de concreto, aço e material plástico utilizados em construção. A usina evitará que o aterro sanitário seja sobrecarregado, proporcionará o reaproveitamento de material que é desperdiçado, com essa reciclagem, e ajudará bastante na preservação do meio ambiente.

A população espera que a implantação da usina não seja mais retardada. Trata-se de obra que se tornou imprescindível para a solução do problema do lixo na cidade e que ainda renderá material reciclado para novas construções.

Algumas fotos:

Entulho próximo a margem de um córrego
Entulho próximo a margem de um córrego
Entulho bem próximo a margem
Entulho bem próximo a margem
Quantidade de entulhos impressiona
Quantidade de entulhos impressiona
Estrago causado pelo entulho no interior do córrego Cascavel em Goiânia
Estrago causado pelo entulho no interior do córrego Cascavel em Goiânia
Mais entulho visto de um outro ângulo
Mais entulho visto de um outro ângulo
Entulho na entrada do parque Cascavel, bem próximo da nascente do córrego
Entulho na entrada do parque Cascavel, bem próximo da nascente do córrego
Mais entulho
Mais entulho
Visão dos entulhos pelo Google Maps
Visão dos entulhos pelo Google Maps
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s