Técnica para recuperação e conservação de nascentes

Nascente Meia Ponte

Nascente rio Meia Ponte

O tempo passa e com a escassez de água cada vez mais evidente fica claro que é necessário cuidar de nossas fontes de água. Um rio não nasce grande, ele começa pequeno, minúsculo, brota da terra através de uma ou mais nascentes e vai ganhando corpo ao longo do percurso, quando recebe água de seus afluentes que também tem suas nascentes. Rios como Amazonas, Araguaia, Almas, Tietê entre tantos outros só se tornam grandes, por conta dessa equação que a natureza levou milhões de anos para conceber.

O homem com sua inteligência e racionalidade parece não ter entendido o equilíbrio frágil que existe em nosso planeta e, em nome de um progresso irracional que visa apenas o lucro a qualquer custo, tem provocado estragos que já podem se enquadrar na categoria de irreversíveis, irreparáveis. Em muitas regiões o índice pluviométrico não se alterou ao longo dos anos, chove a mesma quantidade de água que chovia há anos, o que alterou foi a quantidade de água que se infiltra no solo e abastece o lençol freático.

O desmatamento está entre os principais vilões. A substituição de florestas por pastagens, lavouras e cidades tem gerado superfícies de pouca infiltração e em certos casos completamente impermeáveis como no caso de solos maltratados altamente compactados, concreto, asfalto, etc. A própria água da chuva quando cai sem a proteção natural das florestas é capaz de compactar o solo. As folhas das árvores que caem ajudam a preservar a porosidade natural do solo, protege insetos escavadores que movimentam a terra e também reduzem a velocidade da água que assim chega em menor quantidade a córregos e rios, impedindo o escoamento superficial da água. As raízes também reduzem a velocidade da água e aquela parte que é absorvida pelas raízes passa pela planta e posteriormente é transpirada através das folhas.

Felizmente a agricultura tem evoluído de maneira bastante rápida e o conhecimento de como se dá o equilíbrio na natureza e o uso de tecnologia sustentáveis  tem criado elementos que garantem uma melhor proteção do solo e um consequente ganho na produtividade. Muitos fazendeiros também estão se conscientizado e passando a proteger regiões de nascente, tanto a área de recarga quanto os locais onde existem os afloramentos de água como os brejos ou os olhos d’água. Nascentes que foram destruídas estão sendo recuperadas e conservadas, o que traz mais esperança, pois daqui para frente teremos de nos agarra muito a ela. Tempos difíceis virão.

Abaixo posto o vídeo que ensina como se recupera e se conserva uma nascente. Apesar do Youtube ter bastante vídeos que tratam sobre o tema, esse é um dos que considerei de mais fácil compreensão. É bem simples e didático.

Dia 21 de Setembro

dsc_0122

“As árvores somos todos nós”

Hoje é Dia da Árvore, 21 de setembro. Todo ano costumo escrever algo para homenagear ou alertar todos sobre os revezes que esses impressionantes seres que habitam nosso planeta estão sofrendo.
São tantos os benefícios que as árvores trazem para nós seres humanos e já são tão conhecidos os transtornos gerados pela falta delas que ainda me pergunto porque não são melhores tratadas.

Para começar as raízes das árvores reduzem a velocidade da água da chuva com suas raízes ou folhas caídas, facilitam a infiltração dessa no solo, abastecendo o lençol freático e com isso promovem a manutenção das nascentes. Também servem de abrigo para animais, seja como morada, ou com sua sombra para proteção contra o calor. Seus frutos e flores servem de alimento, As abelhas do pólen se servem para produzir o mel.  Não vou nem mencionar a utilidade comercial e medicinal das árvores para o homem. Elas também inspiram com sua beleza, transpiram e oxigenam. Reduzem poeira, sons e com suas folhas que caem no chão promovem a renovação do solo.

No campo, infelizmente estão sendo substituídas por grandes áreas para pastagens e para agricultura em geral. Quando não queimam até virar carvão e cinza.
Nas cidades as árvores estão dando espaço a projetos paisagísticos cujo único propósito é de embelezar, não de ser útil a natureza. Costumo chamar esses projetos de jardins Gourmet.

O resultado não poderia ser outro, cada vez mais a população está sentindo o efeito do calor e da falta d´água. A alteração do ciclo hidrológico, e a pouca infiltração da água no solo estão causando a baixa do lençol freático e a seca tem devastado diversos locais na época da estiagem.

Se tão úteis, por que estão sumindo de maneira tão acelerada?

Que o dia 21 de Setembro seja sempre um momento de reflexão.

 

Jornal do Campo apresenta série de reportagens sobre a bacia do rio Araguaia – 1/4

Imagem: TV Anhanguera

Imagem: TV Anhanguera

Para que a mensagem chegue a maior quantidade de pessoas possíveis, estou compartilhando através do meu blog, a primeira de uma série de 4 reportagens que o Jornal do campo preparou sobre a bacia do rio Araguaia. As reportagens são um alerta de que se nada for feito nos próximos anos o rio Araguaia corre o risco de secar, principalmente na estiagem. Algo que já acontece com alguns do seus afluentes diretos ou indiretos. No link abaixo está a reportagem 1 de 4.

 

http://g1.globo.com/goias/jornal-do-campo/videos/t/edicoes/v/com-seca-passagem-por-afluente-do-rio-araguaia-pode-ser-feita-a-pe-em-goias/5313029/

 

Isso me lembra uma postagem que fiz aqui no blog em 2010, quando numa viagem para o município de Mundo Novo – GO, eu fiquei perplexo com a condição de muitos córregos e rios que fazem parte da bacia do rio Araguaia e estavam completamente secos. Segue link abaixo:

Voltando de Mundo Novo – GO, achei que estava no sertão nordestino…

Acredito que após 6 anos a situação se encontra muito pior…

Documentário sobre o rio Meia Ponte

O documentário já tem um tempo, mas vale a pena assisti-lo.  Infelizmente nada melhorou em relação ao rio, pelo contrário, parece ter piorado.

 

Ação de limpeza em cachoeira na serra das Areias

Serra das Areias

Na semana do dia mundial do Meio Ambiente, nada melhor do que mostrarmos através de situações práticas, o grau de impacto das ações humanos no Meio Ambiente, afinal de contas a data foi criada justamente para esse propósito, despertar a consciência da população a respeito dos danos que temos provocado e através disso tomarmos uma atitude.

Recentemente estivemos na Serra das Areias em Aparecida de Goiânia, local bastante utilizado para a prática de esportes, principalmente o ciclismo (Mountain Bike). A região é um parque municipal, local de beleza exuberante, cercado por uma flora riquíssima, uma fauna pouco explorada e várias nascentes, formadoras de 3 subacias da bacia do rio Meia Ponte, são elas: ribeirão Santo Antônio, córrego Lages e rio Dourados. Mais de 15% do município de Aparecida é abastecido por um combinado de poços artesianos e o córrego Lages. O complexo da Serra das Areias, compreende, além do município de Aparecida de Goiânia, outros dois municípios: Aragoiânia e Hidrolândia.

Posto esses dados, e apesar da sua importância para a região, a Serra sofre os mais diversos tipos de agressões, sejam elas causadas por ocupações irregulares do seu entorno, incêndios constantes que ameaçam a flora e a fauna, desmatamento para uso da madeira em carvoarias e outros fins, depredação do patrimônio natural,  e por último,  lixo, muito lixo, seja no pé da serra ou nos locais frequentados pela população

Com uma certa frequência procuramos realizar ações de limpeza e conscientização  num ponto conhecido como cachoeira Cristal ou cachoeira Garganta do Guará. O local tem sido bastante frequentado nos últimos anos, seja por pessoas dispostas a acampar ou apenas passar o dia. O público é diversificado e o grau de impacto no local tem sido bastante elevado.

Nessa última ação conseguimos juntar  6 sacos cheios de tudo quanto é  resíduo: garrafas inteiras, garrafas quebradas, fraldas, sacolas, embalagens de biscoitos, bebida alcoólicas, latinhas, bitucas de cigarro entre tantos outros. Colocamos na carroceria do carro e levamos a um local onde existe coleta regular pelos caminhões da prefeitura de Aparecida. Não é um trabalho fácil, nem rápido e não recebemos por isso, é só nossa consciência que nos move, e a vontade que temos de deixar as coisas da forma como devem ficar, limpas e belas. É muito gratificante o resultado final e até as pessoas que usufruem da área se sentem muitos mais confortáveis, apesar de que após algum tempo, mesmo com toda a conversa, infelizmente volta a ficar como antes. O resíduo gerado pelo ser humano está longe de ser agradável aos olhos e o impacto que ele causa ao meio ambiente gera um ciclo vicioso que acaba por causar prejuízos a nós mesmos.Temos feito a nossa pequena contribuição para a serra, talvez até mais do que o próprio poder público, porém, muito além de querer criticar aqueles que nos representam, queremos uma serra protegida, um ambiente limpo e pessoas conscientes.

Que surjam cada vez mais pessoas que tirem parte do seu tempo para fazer um trabalho voluntário tão nobre. Agradeço principalmente aos meus amigos: Reggis Dessur, de onde partiu a ideia dessa última ação, Maurício Sousa e sua simplicidade contagiante, seu filho Lucas Oliveira e a alguns ciclistas, que apesar de proibidos de andarem na serra, procuram sempre fazer um trabalho de guardiões da área.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Dia 05 de junho – Dia Mundial do Meio Ambiente.

dia mundial do meio ambiente

O Dia Mundial do Meio Ambiente é comemorado no dia 5 de junho,  essa data foi estabelecida durante a Assembleia Geral das Nações Unidas segundo a resolução 2997 (XXVII) de 15 de dezembro de 1972, cujo tema central foi o Ambiente Humano.

Foi durante esta conferência que também foi aprovada o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente que trata de problemáticas relacionadas ao seguintes temas: Mudanças Climáticas, Eficiência de Recursos, Desastres e Conflitos, Governança Ambiental, Substâncias Nocivas e Manejo de Ecossistemas.

Na semana do dia 05 acontecem vários eventos,  palestras, seminários, campanhas educativas,  entre outras ações que procuram conscientizar as pessoas para esta importante questão mundial.

Abaixo a nossa modesta contribuição com algumas postagens que já publicamos aqui no blog:

Para que a vida do planeta se preserve para sempre, é necessário consciência e verdade.

Tudo tem um preço

O Desequilíbrio Ecológico e suas consequências

Impermeabilização urbana, um problema que afeta a todos nós

Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente

O capital natural do Planeta está sendo pilhado, realmente há ganho com isso?

O fim do Cerrado! Entrevista do Jornal Opção com o professor Altair Sales

Coletânea com as 10 histórias da série mundo paralelo – Educação Ambiental

mundo-paralelo

Abaixo uma coletânea de histórias de um mundo paralelo e a natureza.

As gangues do rio
O Supermercado nas águas
– Um dia de fúria
– O médico e o rio
– O parque e o rio
– Diálogo entre humano e peixe I
A saga de uma garrafa pet
A criança e a Serra
O Pequizeiro
– O lago

%d blogueiros gostam disto: